09 de Agosto, 2018 às 14:54:00

Dezenas de mulheres e adolescentes (moças e rapazes) das localidades de Mutuca e Mata Cavalo de Baixo participaram nesta quarta-feira (08) de diversas ações desenvolvidas pela Secretaria Estadual de Justiça e Direitos Humanos, através da Superintendência Estadual de Políticas Públicas para mulheres. A Prefeitura do município livramentense foi parceira no evento denominado de 'Campanha Agosto Lilás', através da Secretaria Municipal de Assistência Social.

As duas localidades fazem parte do complexo Sesmaria Boa Vida Quilombo Mata Cavalo, comunidade rural de Nossa Senhora do Livramento, situadas cerca de 62 km da capital, Cuiabá. O objetivo das ações foi conscientizar aquela população sobre os tipos de violência doméstica, os direitos das mulheres e, sobretudo, divulgar que ‘violência contra a mulher não tem desculpa, tem consequências’.
 
No período da manhã, uma gama de ações envolvendo palestras e roda de conversas, mobilizou os moradores da comunidade de Mutuca. A abertura do evento foi feito pela secretária municipal de Assistência Social Elizabeth de Oliveira. Enfática naquilo que diz, a secretária destacou a ‘Campanha Agosto Lilás’, como um momento importante para se refletir sobre a questão. “Isso está impregnado em nossa sociedade que é a violência contra as mulheres. Precisamos nos unir, refletir e nos fortalecer para transformar essa realidade.”

Logo após foi proferida uma palestra pela superintendente estadual de políticas para mulheres de Mato Grosso Mariluci Galdinho Delgado. Ela explicou sobre a Lei 11.340/2006 (Lei Maria da Penha), que em agosto deste ano completa 12 anos de criação. A superintendente explicou ainda que a lei serve para proteger todas as pessoas que se encontram em situação de vulnerabilidade em relação a um agressor. “Este não precisa ser necessariamente o marido ou companheiro, pode ser um parente ou uma pessoa do seu convívio”, lembrou.

Na sequencia o professor Felipe Rodolfo de Carvalho orientou os presentes sobre ‘Direitos Humanos’. Logo após, a líder feminista da comunidade e presidente da Associação da Comunidade Negra Rural do Quilombo Ribeirão da Mutuca – Acorquirim, Laura enalteceu a luta em defesa dos direitos da mulher brasileira, lembrando que lei Maria da Penha não contempla apenas os casos de agressão física, mas também situações de violência psicológica como afastamento dos amigos e familiares, ofensas, destruição de objetos e documentos, difamação e até calúnia. Subsequente, a Dra. Jozirleth Magalhães Criveletto também discursou concernente sobre o assunto em evidência e dirimiu a dúvida de muitas pessoas que estavam presentes. 

Na parte da tarde foi à vez de moradores e alunos da Escola Estadual – Tereza Conceição de Arruda (Mata Cavalo de Baixo), aprenderem as mesmas ações envolvendo os direitos da mulher e voltados para a criação de uma nova cultura, e de uma nova realidade para que se estabeleça a igualdade de tratamento e de poder entre homens e mulheres.  

Vale destacar que também se fizeram presente no evento, o coordenador do Centro de Referência de Assistência Social de Livramento André Luís Morais e Silva, e  membros da Equipe Volante Daniele Laura de Moraes e Sanlenny. Maria Renata de Jesus da associação Acorquirim, Arlete e a professora Eliane Arruda de Mata Cavalo de Baixo também participaram.


Fonte
Texto: Assessoria de Imprensa
Foto: Assessoria de Imprensa

Leia Mais: